Recrutamento e emprego para enfermeiros e apoio geriátrico na alemanha

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses vai reunir-se com o Ministério da Saúde em Setembro para definir alguns pontos do concurso, que deverá abrir no final do próximo mês, para contratar 750 profissionais a 1.200 euros mensais.

A presidente do Sindicato disse que a proposta do Ministério, apresentada aos representantes destes profissionais em Julho, «não é suficiente porque se prevê que existam cerca de 1.600 enfermeiros numa situação precária de emprego».

Por outro lado, «não permite o aumento do número de efectivos dos serviços de acordo com as suas necessidades», apontou a dirigente sindical que reconhece, no entanto, ser «um passo em frente na tentativa de resolver este problema».

E o Governo «assumiu que, se este concurso não resolver todas as situações, abrirá novo concurso no início do próximo ano», avançou ainda Guadalupe Simões.

Questões como os termos de abertura do concurso, o número de vagas distribuídas por instituição, ou se será nacional, serão definidos nas reuniões entre Governo e sindicato, que vão decorrer durante a primeira quinzena de Setembro.

A expectativa dos enfermeiros é que seja possível abrir o concurso no final de Setembro.

O compromisso assumido pelo ministro da Saúde e secretário de Estado da Administração Pública «veio no seguimento da denúncia do Sindicato sobre a forma de contratação de enfermeiros na ARS [administração regional de saúde] de Lisboa e Vale do Tejo e dos miseráveis 3,96 euros propostos como valor hora», recordou a sindicalista.

Segundo Guadalupe Simões, Paulo Macedo assumiu que «ia abrir um concurso externo de ingresso para 750 vagas, o que iria permitir que os enfermeiros contratados através de empresas de subcontratação ou em prestação de serviços e profissionais no desemprego possam vir a entrar nos mapas de pessoal da Administração Pública».

Assim, qualquer enfermeiro que não tenha vínculo definitivo de emprego público pode concorrer.

O valor a pagar pelo trabalho dos enfermeiros contratados através do concurso «teria de ser pelo valor mínimo da carreira de enfermagem que é 1.200 euros», apontou.

Guadalupe Simões avançou ainda que outro compromisso assumido por parte do Ministério da Saúde foi enviar uma proposta para a eventualidade de, mesmo depois do concurso, ser necessário recorrer a serviços de empresas de subcontratação «negociar cláusulas de salvaguarda para que não se volte a repetir a situação que sucedeu em Lisboa e Vale do Tejo».

DEIXE UMA RESPOSTA